ilustra-JoseZacaron-fim

I

Entre amigos e companheiros tudo era festa,
Me encontrando aposentado
Para mim, era uma conquista de grande honra,
por muitos anos trabalhados
Tenho a minha consciência tranquila,
e me encontro realizado...

II

Hoje é minha despedida
Mas não é para se esquecer
Estou despedindo da empresa
mas não despedindo de vocês
Me despeço do que eu fiz,
e do que eu vou deixar de fazer...

III

Antes de mais nada,
Quero deixar com clareza
O que vocês vão ficar sabendo
Em tudo tenho certeza
Vou contar a vocês,
a minha vida na empresa...

IV

Comecei como guarda-fios,
No correr do dia a dia
Um trabalho duro e pesado
que minha função exigia
Nos defeitos de linhas IU's
Não tinha hora nem dia

V

Enfrentei tantas chuvas
Que molhou até minha alma
Com força e coragem
Usei o bom senso e a calma
Levei tanta chuva no lombo
que da chuva eu tenho trauma.

VI

Quando as linhas IU's eram precárias
Explicar detalhes não tem como
Eu saia sempre feito doido
como se fosse o próprio dono
Como os defeitos traiçoeiros
perdi muitas noites de sono...

VII

Quantas noites sofridas
Quantas linhas que bates
nos clarões dos relâmpagos
Eu usava o alicate
Eu chamava a telefonista
Pelo sinal do portátil...

VIII

Entre cercas e buracos,
matagal, barro e valos
às altas horas da noite
só ouvia o cantar do galo
com o peso da escada
no ombro eu tenho calo

IX

Tarde da noite o telefone tocava
Era pepino na certa
se fosse defeito IU's
linha em curto ou aberta
Era alguém que me chamava
sem sair das cobertas..

X

Noites escuras como breu
Saia eu e o Amorim
Para remover defeitos IU's
No clarear do silibim
A chefia implicava
com João-de-barro e cupim

XI

Era um esquema agitado
O corre-corre e o nervosismo
Apesar dos contratempos
Eu agia com otimismo
Hoje me resta a experiência
e a dor do reumatismo...

XII

O Centran sempre foi o líder
De mim o máximo exigia
Por trabalhar sozinho
Eu entrava em cada fria,
Ainda bem que consegui
a minha aposentadoria...

XIII

Na célula de Nhadeara
Eu era o primeiro da lista
Quando menos esperava
tinha alguém na minha pista
e foi assim que eu consegui
essa abençoada conquista...

XIV

Por todo esse tempo transcorrido
No mesmo lugar ainda moro
Quando leio este poema
Lembrar que passei por tantos problemas
Mas com Deus todo mau se espanta,
Me dá um nó na garganta
Isso quando eu não choro...

XV

Esse mundo não é um mar de rosas
Nem a vida é doce quanto mel,
Mas com essa minha verdadeira história
que me faça merecer a vitória
Em conhecer de perto a Sistel.

*
O Sr. José Zacaron escreveu esse poema no momento de sua aposentadoria na Telesp em comemoração e despedida da empresa e de seus colegas de trabalho.
Zacaron, foi vencedor da promoção do Contador de Histórias "Viaje conosco e venha conhecer a Sistel."