Sou o segundo filho de uma família de sete irmãos. Meus pais com parcos recursos, trabalhavam muito para o sustento dos filhos; Quando eu tinha 14 anos, já trabalhava para ajudar meus pais na difícil tarefa de sustentação das necessidades familiares.

Certo dia ao chegar em casa para o almoço, notei uma ambulância parada na porta de nossa humilde residência e deitada em uma maca a minha mãe, que balbuciou:
- Ô Léo, faz alguma coisa para teus irmãos comerem, estive doente e não consegui.
- Fique tranquila minha mãe, vou fazer o possível.

Enquanto ela era conduzida ao hospital, me apressei a ir para nossa pequena cozinha e preparar o almoço. Lembrei-me então de um recurso muito usado por minha mãe na preparação de omeletes, para aumentar o volume, ela adicionava farinha de trigo.

Meu pai sempre foi muito hábil e versátil nas tarefas de manutenção de nossa casa, e devido à falta de recursos financeiros, ele mesmo as realizava. Uma dessas tarefas, foi a reposição de alguns azulejos que se soltaram na pia da cozinha, e desta feita, ele usou cimento branco, então a sobra ele guardou inadvertidamente no armário da dispensa.

Na busca de farinha, encontrei aquele pacote de pó branco, então, adicionei aos ovos, bati firmemente, finalizei e servi para meus irmãos.

– Está bem crocante este omelete. - falou um deles.

Somente dias depois, quando minha mãe retornou do hospital, descobri meu erro.
Creio que este incidente, de uma certa forma foi útil pois meus irmãos e eu crescemos muito fortes, fortes como uma parede de cimento.

-
Escrito por Elesio Ribeiro