Marquei uma pescaria com meu genro para sair ainda com o sol de fora porque a maré começava a encher e tínhamos que navegar por 40 minutos. Porém, a embarcação era pequena e o motor era um cascudo com rabeta curta e conosco, ia também minha mulher e o irmão do meu genro. Como sempre, ele atrasou.

A maré já estava enchendo e a noite chegando. Logo no começo da viagem o barco já estava com o motor sob meu controle. Fomos surpreendidos por um banco de areia e encalhamos. Tentamos sair do encalhe até conseguirmos, porém a maré a essa altura já estava bem alta e com ondas agitadas. Pensei em voltar dali mas fui teimoso e prossegui.

Já no escuro sem enxergar o nosso destino: a Ilha do Rato (vizinha à Ilha da Sogra) e sem enxergar nada, pedi para minha mulher dizer por onde seria o caminho. Ela me responde:
- Não estou vendo nada também!

Quando, de repente, fomos surpreendidos e encalhamos novamente.

Levamos mangas e pães para passar a noite, mas enquanto estávamos pescando os ratos comeram nossa merenda. O que mais me surpreende é que minha mulher não sabe nadar e se mete em fazer essas aventuras.
Porque será?

-
Escrito por Alberto de Oliveira Pinto