Sempre que o telefone tocava, o Trovão anunciava. Já era certo e todos sabiam e admiravam o cão que previa o tocar do telefone. Ele rosnava, latia e ficava todo inquieto, amarado em sua corda. Mas este cão adivinho tinha uma segredo que agora vou contar.

O fio F.E., ligava o poste à sede da fazenda, em um sistema subterrâneo. Um cachorro bravo, para ter seu espaço limitado, foi preso a um cabo de aço de mais ou menos 50 metros por onde corria a corrente presa a coleira da "fera". Como a tubulação do telefone cruzava com o cabo de aço que prendia o cão, com o passar do tempo, no vai e vem do animal, o fio do telefone foi desgastando e encostando no cabo de aço. Quando o telefone da fazenda, através do sistema de magneto era acionado, a fera, pulava, uivava esbravejava devido ao choque que estava sofrendo e com isso todos da fazenda achavam no mínimo curioso que o cachorro Trovão, adivinhava quando o telefone ia tocar.

Fazenda Sapezinha, cidade de Cláudio, Minas Gerais. Até hoje o cabo de aço ainda existe, Trovão faleceu e foi substituído por outro cão. Mas, como o defeito foi reparado as glórias ficaram com o cachorro chamado Trovão. Que sabia quando o telefone ia tocar.

-
Escrito por Apolinario Rocha Ribeiro Amorim