Quando ingressei na TELERN, no final dos anos 60, na função de contador, deparei-me com um caso inusitado. Tratava-se da classificação contábil de um documento/recibo referente à aquisição de um saco de milho para ser utilizado na alimentação de um burro mulo, existente na repetidora da localidade de Serra de Santana, no município de Cerro Corá, no Rio Grande do Norte.

Surgiu, assim, uma dúvida para um contador principiante de 22 anos advindo do setor bancário e recém-formado no curso de Técnico em Contabilidade. Como classificar contabilmente o documento, levando-se em consideração que o burro mulo estava classificado corretamente como semovente no ativo imobilizado da empresa? A dúvida foi se classificaria o milho utilizado como despesa de combustível ou despesa de alimentação do animal.

Como classifiquei é assunto para uma próxima edição (risos). Este foi o fato cômico que marcou de certa forma a história da minha passagem pela saudosa TELERN, no setor de telecomunicações.

-
João Moura – Natal/RN