Eu tinha vindo do interior, era meio caipira, nem sei como entrei na Companhia Telefônica Brasileira- CTB, que depois se tornou Telecomunicações de São Paulo -TELESP.

O fato é que certo dia resolvi, junto com amigos, ir para a cidade de Santos conhecer a praia. Depois de muitos arranjos partimos para a tão sonhada viagem. Saímos de tardezinha e só chegamos de madrugada. Deixamos as trouxas numa pensão barata, só de calção e descalços corremos para a tão falada praia.

O sol tinha acabado de nascer. Diante daquela visão maravilhosa ficamos alguns minutos meio que abobados com a beleza, até que resolvemos entrar no mar.

- Epa! Temos um problema...
Disse um dos amigos, que completou:
- Onde vamos deixar os trocados que temos nos bolsos?
Ficou a dúvida. Aí, um ilustre companheiro teve uma ideia:
-Vamos enterrar perto daquele guarda-sol listrado.

Como era de manhã havia poucas pessoas e poucos guarda-sóis. A ideia foi aceita e, disfarçadamente, enterramos os trocados. Para localizar mais facilmente, ao lado, colocamos um palito de sorvete. Tranquilos fomos para o mar.
Ficamos brincando na água por algumas horas, sem nem olhar para a areia.

A certa altura um amigo disse:
- Vamos sair!
E lá fomos nós em direção ao guarda-sol listrado. Mas, para nossa surpresa, agora, havia, fincados na areia, milhares de guarda-sóis.

Discretamente, por muitos minutos cavamos com o dedão do pé perto de muitos guarda-sóis listrados. Não achamos nada!
Ficamos sem os trocados e jogando a culpa um no outro por essa ideia maravilhosa.

--
Escrito por: Antonio Corniane