Há um tempo pedi para Deus um cara para acompanhar as minhas aventuras e a viagem louca de sentimentos que sou, para viajar comigo sem destino, hora e data certa para voltar. Então, fiz minha primeira viagem sozinha. Pedi para Ele um cara que soubesse tudo sobre os melhores vinhos e que soubesse também a combinação do cardápio perfeito para cada tipo de vinho. Daí, por um acaso visitei um dos melhores restaurantes da cidade e fiz amizade com o garçom que me deu as melhores dicas sobre vinhos. Pedi para Deus batidas de coração aceleradas ao escutar aquela voz rouca e sorridente e, de repente, sorri tanto até ficar rouca e sem voz, sozinha. Queria um cara que jogasse futebol aos sábados pela manhã enquanto eu fazia meu origami e logo depois me dedicava para outras coisas exclusivas minhas. Então, deparei-me dentro de um campo de futebol fazendo gols sozinha. Com tudo isso, notei que nunca estive só e tão pouco o meu pedido foi atendido, aquele cara não era o cara, mas Deus esteve comigo em todos esses momentos de solidão e desejos. O mais importante é que não deixei de realizá-los por estar só e que, na verdade, nunca estive tão sozinha.

--
Escrito por Letícia de Paula