Do pop ao rock'n roll mais pesado o coração dela dançou. Ele despertou nela quase todos os ritmos musicais. Às vezes, acalentava ao som do jazz e do blues. Ela era sorriso por dentro, vibrava! Notoriamente dominava o ritmo da bossa nova, MPB e do pop. Era como ler um panfleto entregue na rua, não tinha segredo, ele cantava, ela achava normal, mas o coração. Ah! O coração cantava. Em alguns momentos, não tão bons, ela se recorda dos acordes maiores e timbres graves. Sua extensão vai do DÓ 2 ao RÉ 4. Fomos do pop rock, grunge, indie, hardcore, punk rock e heavy metal. Mas, ele às vezes fazia o coração retornar à soul music. Quando dois corpos já eram apenas um só corpo, o coração se esquecia até mesmo de bater, o coração literalmente morreu. Quando, de repente, ele se rendeu ao sertanejo universitário. Ela aceitou até mesmo o country americano. Inclusive, o coração dançava bem esse ritmo musical, mas o sertanejo fez com que o coração sofresse um infarto fulminante.

--
Escrito por Letícia de Paula