Logomarca da Sistel
HUMOR Icone
  • +
    29.02.2016

    É boi na linha!

    Lá pelos idos de 1968, eu tinha um encarregado chamado Domingos Romano, que era responsável por receber as comunicações de interrupções ocorridas nos ramais de transmissões telefônicas de linhas interurbanas e, posteriormente, dar ciência a seus superiores. Um dia, em conversa informal comigo, contou-me a seguinte história (a versão é verdadeira): chovia muito na capital […]

  • +
    29.02.2016

    O Imprevisto em Maragogi

    Como Gerente Regional da Anatel para os estados de Pernambuco, Alagoas e Paraíba fiz várias viagens para Maceió. Sempre pelo litoral desfrutando das paisagens belíssimas, do azul do mar e do cheiro inconfundível da maresia. Libidos da natureza. Em uma dessas deslocações, ao longo do caminho de ida ouvi toda a história do motorista que […]

  • +
    29.02.2016

    O cachorro telefonista

    Ano de 1976, época das modernizações telefônicas… Em Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais, substituímos uma central manual por outra automática que possibilitava a Discagem Direta à Distância – DDD. Pânico total! Pois, a maioria da população nunca tinha discado um único número, já que o serviço era manual. Agora, era preciso discar sete algarismos […]

  • +
    26.02.2016

    A magia e o encanto dos álbuns de figurinhas

    A Igreja de Nossa Senhora da Piedade, em Barbacena, está lotada de fiéis. São crianças, adolescentes, jovens, mulheres, homens, idosos e até cachorros nas portas laterais. Todos compenetrados no discurso esperançoso do padre. Muitos rezam baixinho, alguns fingem orar, outros olham incessantemente para o relógio e há aqueles que puxam os braços dos pais perguntando […]

  • +
    06.01.2016

    O caso da mala

    Cap. 1 – Questionei-me se conseguiríamos chegar Quando trabalhava na Telecomunicações de Minas Gerais – Telemig, viajei na companhia de um colega para a cidade de Virginópolis, próxima a Guanhães, no norte de Minas. O objetivo era instalar e testar um equipamento numa estação de rádio que ficava no alto de uma serra, distante vários […]

  • +
    06.01.2016

    Avô adotivo

    Felipe é um garoto de aproximadamente seis anos de idade, que mora no quinto andar do Residencial Atlântico, onde resido há quatro anos. É inquieto, como toda criança nessa idade, e tem energia para ninguém botar defeito. É gordinho e fica corado com qualquer esforço que faz. Felipe é bem consciente de suas travessuras. Certo […]

  • +
    06.01.2016

    Os últimos salgadinhos de uma vida

    Em uma cidade do interior de Minas, um fazendeiro, já beirando 100 anos de idade, estava nos últimos momentos de vida. Chamaram o médico, que avisou que nada mais poderia ser feito. A família se reuniu na fazenda aguardando o momento final. Deitado, o fazendeiro já quase nem respirava quando a porta de seu quarto […]

  • +
    06.01.2016

    Levantando a linha do Equador

    Aconteceu a bordo de um navio de guerra… Devido a uma tradição naval, todo militar que passasse pela Linha do Equador pela primeira vez deveria ser batizado. Eu era oficial e não escapei do batismo. Para não passar sozinho pela gozação, bolei o seguinte: a todos os marinheiros que estavam comigo, determinei que segurassem uma […]

  • +
    06.01.2016

    Serviços externos da Gestapo

    Estávamos, um colega e eu, realizando serviços externos na divisa dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. De repente fomos interceptados por um grupo de combate do Exército, que estava realizando uma patrulha naquele local. O oficial que comandava o destacamento indagou sobre quem éramos e o que estávamos fazendo. Repentinamente, […]

  • +
    06.01.2016

    Contava meu pai

    Meu falecido pai, natural da cidadezinha de Baturité no interior do estado do Ceará, era filho de colonos de fazenda. Ele contava que um fazendeiro botou uma besta à venda por um preço bem convidativo. Logo, apareceu um amigo, também fazendeiro, que se interessou rapidamente pela compra devido ao bom preço. Foi ao fazendeiro vendedor […]

  • +
    06.01.2016

    Eu era meio caipira

    Eu tinha vindo do interior, era meio caipira, nem sei como entrei na Companhia Telefônica Brasileira- CTB, que depois se tornou Telecomunicações de São Paulo -TELESP. O fato é que certo dia resolvi, junto com amigos, ir para a cidade de Santos conhecer a praia. Depois de muitos arranjos partimos para a tão sonhada viagem. […]

  • +
    10.09.2015

    Combustível para um burro

    Quando ingressei na TELERN, no final dos anos 60, na função de contador, deparei-me com um caso inusitado. Tratava-se da classificação contábil de um documento/recibo referente à aquisição de um saco de milho para ser utilizado na alimentação de um burro mulo, existente na repetidora da localidade de Serra de Santana, no município de Cerro […]

  • +
    10.09.2015

    Meu colega que latia feito cachorro

    Em 1974, fomos trabalhar na cidade paranaense de Santo Antônio da Platina. Ao chegarmos a uma residência para instalar o telefone novo, a proprietária nos mandou entrar, mas esqueceu que seu feroz pastor alemão estava solto. Quando nos deparamos com o cachorro, meu colega Edson Rodrigues da Silva, o Flamengo, inflou o peito e partiu […]

  • +
    01.08.2015

    Portugueses em Interlagos

    Quando eu trabalhava na Telesp, a minha equipe de instalação era responsável pelo autódromo de Interlagos e, quando havia corrida de Fórmula 1, mantínhamos plantão no local, pois havia transmissão para o mundo todo. Toda emissora solicitava à Telesp uma ou mais linhas de transmissão, direcionadas via Embratel para o exterior. Além disso, estavam sempre […]

  • +
    01.07.2015

    O dia em que choveu pinga em Rio Grande da Serra

    Em 1970, eu era prefeito da cidade de Rio Grande da Serra, no estado de São Paulo. Como bom mineiro, fui visitar minha cidade natal, Paula Cândido, de onde trouxe um garrafão de pinga “das boa”. Em determinado dia daquele ano, após encerrar o expediente na prefeitura, aproveitei para tomar uns goles da danada. A […]

  • +
    01.07.2015

    Fujão

    Certo dia, no caminho para matar o que estava nos matando (a fome), deparamos com um coelho. Pedi silêncio ao meu amigo, para não ajustar o bichinho. Eu iria tentar capturar o simpático animal. Tirei os sapatos e, com a camisa esticada entre os braços abertos, pulei na pequena moita e consegui apanhar o orelhudo. […]

  • +
    31.03.2015

    Buuuuuuuuu!

    Araruama é um município do estado do Rio de Janeiro, pertencente à Região dos Lagos, localizado às margens da lagoa de mesmo nome. Muitas pessoas possuem casa lá por ser um lugar próximo ao Rio de Janeiro, muito aprazível onde passam férias e fim-de-semana. Lá em 1981, tínhamos uma casa num condomínio à beira da […]

  • +
    31.03.2015

    Música, professor!

    Sempre gostei de dar aulas, embora só tenha iniciado aos 23 anos. E só parei aos 64. Tive a chance de participar de três cursos específicos: didática, técnica de motivação de alunos e recursos audiovisuais, antes de iniciar meu magistério. Nunca vivi só dando aulas. Sempre tive o meu emprego normal. Lecionava à noite na […]

  • +
    13.02.2015

    Como eu criei o Plano Real

    Trabalhando na Telebrás, em 1994, preocupado com a inflação, tive uma ideia: ela só acontece por um direcionamento. Então, porque não inverter esse direcionamento? Enviei uma carta ao presidente Itamar. Algum tempo depois nos jornais começaram a aparecer manchetes com as minhas ideias expostas. Para mim nada rendeu, mas para o País sim. Só em […]

  • +
    13.02.2015

    O finado que não morreu

    O Teixeira era um cara até legal. Cabeça redonda, careca, franco e grosso como ele só. Devido a estes requisitos peculiares da sua personalidade, não gozava da simpatia de diversos colegas. Era chefe, dentre outros funcionários, da Isa, magricela, miudinha e com a barriga roliça no aguardo do seu primeiro filho, fruto compartilhado com o […]

Site desenvolvido por Corisco Design